TJDFT - Transferência de escola devido a maus tratos gera dever de indenizar

  • 09-05-2016

 

O 4º Juizado Especial Cível de Taguatinga condenou a S. C. de Educação e Cultura Ltda a indenizar, em danos materiais, uma mãe que transferiu seus filhos de escola devido a maus tratos aos alunos.
A autora ajuizou ação no intuito de ser ressarcida pelos danos morais e materiais que alega terem ocorridos em razão de maus tratos sofridos por seus filhos dentro da instituição onde estudavam e anexou ao processo prova documental que demonstra, por meio de vídeos, que os casos denunciando maus tratos com alunos, principalmente com um de seus filhos, levaram-na a transferir os dois filhos para outra escola. Além disso, foi ouvida na audiência de instrução uma então funcionária da escola ré, que captou alguns fatos através de filmagens. 
Citada, a instituição de ensino não compareceu à audiência e foi declarada revel. 
De acordo com o magistrado, a relação entre as partes se baseia na confiança da consumidora, no sentido de que, enquanto seus filhos estivessem dentro da escola, estariam sendo minimamente cuidados e protegidos. O juiz acrescentou ainda que, quebrada essa confiança, caracteriza-se o vício do serviço, o que justifica a rescisão do contrato, e determinou a reparação dos danos sofridos, bem como o reembolso dos gastos com materiais escolares, livros didáticos e metade do valor do contrato para o ano letivo de 2015. 
Quanto ao pedido de danos morais, o magistrado entendeu não ser cabível, uma vez que não ficou demonstrada qualquer violação a direito da personalidade da autora, pois não houve comprovação de sofrimento de maus tratos pelo filho que usufruía diretamente dos serviços da escola. 
Cabe recurso da decisão.
PJe: 0703961-90.2015.8.07.0007
Fonte: Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios

O 4º Juizado Especial Cível de Taguatinga condenou a S. C. de Educação e Cultura Ltda a indenizar, em danos materiais, uma mãe que transferiu seus filhos de escola devido a maus tratos aos alunos.


A autora ajuizou ação no intuito de ser ressarcida pelos danos morais e materiais que alega terem ocorridos em razão de maus tratos sofridos por seus filhos dentro da instituição onde estudavam e anexou ao processo prova documental que demonstra, por meio de vídeos, que os casos denunciando maus tratos com alunos, principalmente com um de seus filhos, levaram-na a transferir os dois filhos para outra escola. Além disso, foi ouvida na audiência de instrução uma então funcionária da escola ré, que captou alguns fatos através de filmagens. 


Citada, a instituição de ensino não compareceu à audiência e foi declarada revel. 


De acordo com o magistrado, a relação entre as partes se baseia na confiança da consumidora, no sentido de que, enquanto seus filhos estivessem dentro da escola, estariam sendo minimamente cuidados e protegidos. O juiz acrescentou ainda que, quebrada essa confiança, caracteriza-se o vício do serviço, o que justifica a rescisão do contrato, e determinou a reparação dos danos sofridos, bem como o reembolso dos gastos com materiais escolares, livros didáticos e metade do valor do contrato para o ano letivo de 2015. 


Quanto ao pedido de danos morais, o magistrado entendeu não ser cabível, uma vez que não ficou demonstrada qualquer violação a direito da personalidade da autora, pois não houve comprovação de sofrimento de maus tratos pelo filho que usufruía diretamente dos serviços da escola. 


Cabe recurso da decisão.


PJe: 0703961-90.2015.8.07.0007


Fonte: Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios


Comentários (0)

Deixe seu Comentário nesta Página (mostrarocultar)
* Seu Nome:
* Seu Email:
(não será divulgado publicamente)
Resposta:
Aprovação:
Seu Website:
* Cód. de Segurança:
Security Image Gerar novo
Copie os números e letras da imagem de segurança acima:
* Sua Mensagem:

Enviar a um Amigo

Preencha o formulário abaixo para encaminhar este notícia para um amigo:

Enviar a um Amigo
* Seu Nome:
* Seu Email:
* Nome do Amigo:
* Email do Amigo:
* Imagem de Segurança:
Security Image Gerar novo código
Copie abaixo os números e letras da imagem de segurança
* Mensagem: