64 mil lojas são fechadas no País

  • 09-12-2015

 

Segundo a CNC, nos últimos 12 meses houve queda de 9,1% no número de estabelecimentos comerciais
A crise pegou em cheio o varejo. Tanto que os últimos doze meses, terminados em outubro, o setor viu o número de estabelecimentos comerciais com vínculo empregatício cair 9,1%.
Isso pode indicar o fechamento de 64,5 mil lojas. O levantamento foi feito com base nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho.
Segundo a CNC, a queda representa desempenho inédito em mais de uma década desse indicador, historicamente associado ao comportamento das vendas.
O segmento de hiper e supermercados, responsável por 32,6% das lojas em operação liderou a queda, com a extinção de 15,5 mil pontos de vendas. Em seguida, vieram os segmentos de vestuário, que fecharam 9,7 mil lojas, e o de materiais de construção, que fecharam 9,5 mil estabelecimentos.
“A deterioração das condições de consumo em função da inflação e dos juros elevados, somados à queda na confiança de empresários e consumidores impõe um cenário desalentador para o varejo, pelo menos no médio prazo”, afirma o economista da CNC, Fabio Bentes.
Diante deste cenário, a Confederação vem revisando suas projeções para o fim de 2015. A expectativa da CNC para o PIB do comércio aponta uma queda de 8,0% em relação a 2014 e o volume de vendas do varejo restrito deve recuar 4% em relação ao ano passado.
Fonte: Portal do Varejo

Segundo a CNC, nos últimos 12 meses houve queda de 9,1% no número de estabelecimentos comerciais


A crise pegou em cheio o varejo. Tanto que os últimos doze meses, terminados em outubro, o setor viu o número de estabelecimentos comerciais com vínculo empregatício cair 9,1%.


Isso pode indicar o fechamento de 64,5 mil lojas. O levantamento foi feito com base nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho.


Segundo a CNC, a queda representa desempenho inédito em mais de uma década desse indicador, historicamente associado ao comportamento das vendas.
O segmento de hiper e supermercados, responsável por 32,6% das lojas em operação liderou a queda, com a extinção de 15,5 mil pontos de vendas. Em seguida, vieram os segmentos de vestuário, que fecharam 9,7 mil lojas, e o de materiais de construção, que fecharam 9,5 mil estabelecimentos.


“A deterioração das condições de consumo em função da inflação e dos juros elevados, somados à queda na confiança de empresários e consumidores impõe um cenário desalentador para o varejo, pelo menos no médio prazo”, afirma o economista da CNC, Fabio Bentes.


Diante deste cenário, a Confederação vem revisando suas projeções para o fim de 2015. A expectativa da CNC para o PIB do comércio aponta uma queda de 8,0% em relação a 2014 e o volume de vendas do varejo restrito deve recuar 4% em relação ao ano passado.


Fonte: Portal do Varejo


Comentários (0)

Deixe seu Comentário nesta Página (mostrarocultar)
* Seu Nome:
* Seu Email:
(não será divulgado publicamente)
Resposta:
Aprovação:
Seu Website:
* Cód. de Segurança:
Security Image Gerar novo
Copie os números e letras da imagem de segurança acima:
* Sua Mensagem:

Enviar a um Amigo

Preencha o formulário abaixo para encaminhar este notícia para um amigo:

Enviar a um Amigo
* Seu Nome:
* Seu Email:
* Nome do Amigo:
* Email do Amigo:
* Imagem de Segurança:
Security Image Gerar novo código
Copie abaixo os números e letras da imagem de segurança
* Mensagem: